Detalhes

Coordenação

Coordenador
Profª Esp. Aracy Katzinsky

Contato Coordenação
(41) 3155-7107 / (41) 3155-7108
cpgex@faculdadeespirita.com.br

Investimento
Taxa de Matrícula
R$ 70,00

Parcelamento
22 parcelas de R$430,00

Relação de documentos
1 Foto 3×4 Atual
Xerox Acompanhado dos Originais:
  • RG
  • CPF
  • Comprovante de Residência
  • Histórico da Graduação
  • Diploma da Graduação
OBSERVAÇÃO:

A dispensa dos documentos originais somente se os xerox forem autenticados em cartório.

o sagrado feminino

Notando a escassez de propostas que versem sobre o Sagrado Feminino em nível de pós-graduação, mais a importância do tema para uma abordagem sistêmica do ser humano e, além disso, os efeitos terapêuticos que se obtêm por meio do resgate da esfera feminina dentro do homem e da mulher, montou-se este programa visando suprir esta lacuna e cobrindo ampla gama de disciplinas relacionadas.

Em considerando que tudo no universo depende de duas polaridades ou condições aparentemente opostas, que se complementam para a geração de uma nova força resultante e de equilíbrio, encontrando este princípio sua mais marcante expressão na dimensão masculina e feminina do gênero humano, e constatando que a fase feminina foi abafada, negligenciada, quando não perseguida em muitas matrizes culturais e sociedades, resultando em um desequilíbrio interior e exterior claramente observável, considera-se que urge retomar a importância a fase feminina em sua dimensão sociológica, psicológica, simbólica, filosófica e mesmo espiritual (não-dogmática), a fim de que a vida em sociedade torne-se mais equilibrada, sadia e fraterna.
A dessacralização da fase feminina está na origem de inúmeros males que grassam a sociedade. Não bastante, doenças diversas podem encontrar sua gênese na atrofia de uma das duas grandes fases do ser humano, neste caso, da feminina.

O planeta também sofre com a supervalorização de uma fase em detrimento da outra. O conceito de Gaya, proposto pelo cientista e ambientalista inglês James EphraimLovelock em 1969, ganha cada vez mais aceitação, concomitantemente à Ecologia, que como ciência cresce em prestígio. Tradicional e simbolicamente, Gaya está ligada ao conceito de “mãe”, hoje violentada pela voracidade do ser humano em explorar os recursos naturais. Isto é reflexo da fase masculina prevalecendo sobre a feminina, fenômeno que começa dentro do ser humano e se projeta para o mundo exterior, o que vem ocorrendo há centenas de anos em algumas sociedades, especialmente as ocidentais. Assim, a ressacralização do feminino no ser humano gerará, ipso facto, a ressacralização da Terra.
A (re)descoberta do feminino sagrado será o retorno de um estado equilibrado que, possivelmente, a humanidade já conheceu em algumas sociedades antigas. Isto se afirma na atualidade com o aparecimento de fenômenos como as religiões matriarcais, a valorização do papel das “feiticeira”, da “maga” e da “sacerdotisa”. Caminhos como Wicca, o Neo-Druidismo e algumas correntes xamânicas são sinais que seria sábio não ignorar. A revalorização do feminino na mulher, e no próprio homem (uma vez que ambos comportam as duas polaridades), é uma transformação de consciência que visa o reequilíbrio interno, o qual se refletirá no ambiente externo. Notando a escassez de propostas que foquem, de forma sistemática, o acima exposto, apresenta-se esta Pós em “O Sagrado Feminino” para recuperar, teórica e vivencialmente, toda a dimensão da fase feminina, habilitando ainda homens e mulheres a se tornarem facilitadores desta abordagem de forma terapêutica em futuros trabalhos, individuais ou coletivos.

Compartilhar

Faça sua inscrição para os cursos de Pós-Graduação